Hoje não é dia de parque

Supondo que a vida fosse dividida em três categorias de pessoas: num primeiro grupo tem aquelas que parecem ter um parque de diversões sempre aberto à sua disposição; num segundo grupo aquelas para quem o parque é aberto de vez em quando ( como esse da foto acima ) e um terceiro grupo, que rarissimamente tem acesso a esse lugar; dentro desse contexto minha família passou do segundo para o terceiro grupo nos últimos meses. A vida passou de um contexto de “normal com lutas” para “normal lutando muito” com rara diversão.

Já faz algum tempo que não escrevo… sempre compartilho as experiências nas quais tenho algum aprendizado aqui no blog, por acreditar que posso ajudar outras pessoas a passar pelos problemas olhando para Deus e para a sua palavra; mas nos últimos meses as tarefas estão se acumulando e acontecimentos inesperados tem surpreendido minha família; e o tempo tem sido escasso para escrever, e minhas reflexões tem dado mais lugar a orações.

Tem sido uma luta. Enfrentar uma doença grave e luto, acidente, saudade, decepção, prejuízo, incertezas… e por aí vai a lista. Tem horas que paro e penso, será que é verdade tudo isso? Qual o propósito de tanta luta? Outras vezes num súbito momento de confiança e fé penso que vai ficar tudo bem, Deus está no controle, mesmo que eu não conheça o amanhã e não tenha o menor controle sobre ele, o meu Deus sabe e controla todas as coisas e isso basta.

Tento valorizar cada bênção, para não cair na lamentação, olho para a Síria, Venezuela e África de almas aflitas e oro por sua paz, olho para os vergonhosos empoderados do nosso Brasil que trazem sofrimento a milhões de pessoas e peço a Deus para tratar com eles; e por fim agradeço por saber que todas as dificuldades podem nos aproximar mais do Senhor. Mesmo que este seja um dos momentos mais difíceis que estejamos enfrentando; *todos os nossos dias foram escritos e determinados quando nenhum deles havia ainda.

Sobre tudo, espero que na aflição estejamos em obediência e louvor *porque o Senhor é bom e a sua misericórdia dura para sempre, *lembrando continuamente de nos humilharmos diante da poderosa mão de Deus.

Pode até parecer controverso, mas não é; quando nos voltamos pra Deus, há um suave consolo no sofrimento, uma calma esperança em meio às derrotas, há alegria em Deus mesmo em meio a tristeza. É isso o que tenho experimentado.

Para hoje, faço minhas as palavras de Davi:

*Eu sou pobre e necessitado, porém o Senhor cuida de mim; Tu és o meu amparo e o meu libertador, não te detenhas óh Deus meu!! salmo 70:5

 

Por Jossiana do Val

Deixe um comentário